Tuesday, July 28, 2020

Cometa NEOWISE C/2020 F3

O cometa NEOWISE C/2020 F3 foi descoberto em março de 2020 e logo começou a ser observado e fotografado pelo mundo todo. Os primeiros registros vieram do hemisfério norte e em Julho começou a ser capturado por aqui.
Esse é um cometa de período orbital girando por volta de 6.700 anos, então é a última oportunidade de fotografa-lo 😁. Durante o mês de Julho o cometa estará mais próximo ao nosso horizonte noroeste e com magnitude que permitirá sua observação em locais mais escuros. Ao longo do tempo ele passará para maiores elevações e magnitudes mais altas, tornando mais difícil visualiza-lo.


Esse cometa assim como outros é um astro composto de gelo e gases que ao entrarem em contato com a luz do sol começam a ionizar e emitir cores de diferentes tonalidades, dando origem a sua cauda.

LIGHTS: 76 x 3.2s F/5.6 a 300mm ISO 12500

Monday, July 20, 2020

Nebulosa Dragões de Ara


Essa foi minha segunda captura de Dragóes de Ara (NGC 6188), porém dessa vez apesar de menos horas empilhadas, foram frames de 300s usando uma Canon 6d modificada. Essa captura também serviu para testar o filtro L-Enhance da Optlong, pois no local haviam muitas luzes parasitas e a PL de Brasília ainda bastante presente.  Apesar de menos horas empilhas e local menos escuro, os frames mais longos captaram mais detalhes. 
Meu feedback para o filtro L-Enhance é bastante positivo, seria impossível fotografar sem ele ou com um filtro mais permissível no local.

NGC 6188 é uma nebulosa de emissão localizada a cerca de 4 mil anos-luz de distância na constelação de Ara. Podemos observar no canto inferior direito da imagem a nebulosa bipolar NGC6164 e NGC6165, conhecido no mundo astrofotográfico como Ovo do Dragão de Ara, entretanto pertencente à constelação de Norma.



LIGHT FRAMES: 50 x 300s
DARKS: 10
FLATS: 10

Nebulosa da Águia


A Nebulosa da Águia foi descoberta ainda em 1745 e ficou ainda mais conhecida depois que os famosos "Pilares da criação" foram fotografados pelo telescópio Hubble nos anos 90. Os pilares são essas estruturas de gás e poeira cósmica que vemos na imagem abaixo. O comprimento do maior pilar chega a 4 anos-luz.
A curiosidade em relação a este objeto está no fato dos pilares já não existirem mais, foram destruídos por uma supernova. Pelo menos era o que alguns astrônomos diziam.
Entretanto esse fato não é uma unanimidade entre pesquisadores. Existem estudos mostrando que na verdade os pilares ainda não foram destruídos e terão seus gases evaporados pelas altas temperatura causadas por esses colapsos estelares de maneira gradual.




LIGHTS FRAMES: 50 x 300s ISO 1600
DARKS FRAMES: 10
BIAS FRAMES: 10
FLAT FRAMES: 10

OBS: O foco do OTA acabou cedendo durante a noite e eu fui perceber só ao final. Vou recapturar M16 e trazer uma nova versão.

Novidades para a próxima temporada e as razões

Enquanto a chuva predomina por aqui na região resolvi avaliar a possibilidade de melhorias no equipamento para a próxima temporada em 2021. ...