Sunday, April 26, 2020

Iniciando a temporada 2020


"Houve um tempo antes da televisão, antes dos filmes, antes do rádio, antes dos livros. A maior parte da existência humana foi gasta nesse período. Sobre as brasas moribundas da fogueira, em uma noite sem lua, vimos as estrelas. (Carl Sagan)"

É com as palavras de Carl Sagan que inicio mais esse registro de minhas investidas pelo cerrado em busca de registros do cosmos. Nesse tempo que outrora foi o futuro, há muito para aprendemos com o passado, mas nunca é tarde!

O mês de Abril na região da Chapada dos Veadeiros costuma dar alguma chance aos amantes da astronomia, as chuvas diminuem e há alguns períodos de céu limpo. Foi com essa previsão nada muito certa que acompanhei de perto os dias próximos à Lua Nova.


A expectativa era de céu bom até por volta das 00:00, ainda sim com alguma nebulosidade. Depois desse horário provavelmente não haveria muitas oportunidades. É uma janela de tempo muita curta, ainda mais que eu estaria experimentando novas configurações no meu equipamento.

Pra esse ano pretendo tentar diminuir tamanho, peso e quantidade de itens levados a campo. Isso faz uma enorme diferença quando suas sessões são curtas e está em local sem infra-estrutura. Esse é o caso. Portanto devo deixar meu SCT C8 guardado, o tri-pier, mesas e cadeiras que costumava levar. Devo deixar para trás mais de 20kg em equipamentos e liberar um volume considerável no carro.

Nesse inicio de temporada o objetivo é me adaptar ao pequeno refrator apo 80mm, avaliar algumas adaptações que fiz na minha viatura com o objetivo de facilitar minhas investidas pelo cerrado goiano. Falando em goiano, deixo aqui meu agradecimento ao amigo Renato que fez um contra-peso para esse novo setup em tempo record e com muito capricho!

Sai de Brasília por volta das 13h rumo à Chapada dos Veadeiros, tempo suficiente para eu chegar, achar um bom local para ficar e arrumar tudo.

O primeiro aspecto positivo nessa nova configuração é que gastei menos tempo para deixar tudo pronto. Com a antiga tralha, eu gastava uns 45 minutos descarregando o carro e montando tudo. E na hora de levantar o acampamento então!
Todo o equipamento está sendo alimentado por duas baterias estacionárias. Uma de 50ah apenas para a montagem equatorial e uma de 115ah ligada em um inversor de 1500W para o notebook e o restante dos acessórios.



Outro aspecto positivo é que os cabos/fios que antes ficavam pelo chão, agora ficam aparentemente mais organizados e sem risco de serem chutados!.
O notebook fica a maior parte do tempo (quando estou capturando um objeto) no console do carro, o que também ajuda a proteger o equipamento do tempo úmido da Chapada!
O aspecto mais negativo é que é preciso tomar cuidado ao manipular as coisas dentro do carro, pois um balanço vai atrapalhar bastante.



Agora com o tempo sobrando, deu tempo de observar com calma o pôr-do-sol. Alguém já notou como os buritis ficam bonitos no pôr-do-sol ? E com a presença da Lua e Vênus então ?



A noite cai e é hora de iniciar logo os trabalhos! Até porque o tempo é curto, na melhor das hipóteses terei umas 4 horas para fotografar.
O segundo objetivo para esse ano é tentar usar nossa "estrela polar sul", Sigma Octants como referência para o alinhamento polar da montagem. Isso é importante porque outros métodos costumam levar tempo e carga de bateria!! Já que não está sobrando energia, usando um binóculos e um laser é possível fazer a maior parte do trabalho sem precisar ligar o equipamento.
A idéia era ótima, mas eu esqueci de carregar a bateria do laser!!!! Deu tempo só de ajustar a montagem de forma mais grosseira para o polo sul geográfico.
Com a montagem desalinhada, nada funcionava direito. A guiagem com erro médio total de uns 2.5px era o suficiente pra não conseguir fotos muitos longas. O Plate Solving também não fazia mágica e não conseguia localizar as regiões do céu.
Tentei intervir na posição do GOTO, apontando corretamente a montagem para a constelação de Orion onde se encontrava meu alvo da noite e tirando uma foto para ser avaliada pelo Plate Solving. Funcionou! M42 (Nebulosa de Órion) encontrada!


Nessa minha teimosia em não tentar um drift para o alinhamento polar, tentando remediar o irremediável, o tempo foi passando, as nuvens chegando e o orvalho dando um banho em tudo!
Esse foi outro grande problema, o orvalho! Confiei que o dew shield do 80mm iria dar conta do recado e não levei a fiação para ligar o dew heater. Resultado ? Acabou a noite!
Pra não dizer que não deu pra tirar nenhuma foto, deu pra tirar uma! muito rapidamente e com o foco deixando a desejar.

Bom, foram poucas horas e muitos problemas pra resolver como sempre! É a vida. Nebulosa de Órion ainda será perseguida durante a temporada 2020 e espero trazer uma boa imagem dela.

Céus limpos a todos!

Novidades para a próxima temporada e as razões

Enquanto a chuva predomina por aqui na região resolvi avaliar a possibilidade de melhorias no equipamento para a próxima temporada em 2021. ...